A Droga na Adolescência

Sempre existiu droga desde os nossos antepassados. Mas nesse tempo era usada apenas quando necessária para alguma emergência, como anestesiante ou estimulante.

À medida que os tempos vão passando o seu uso tem-se tornado constante provocando a decadência na juventude. Os motivos que encaminham os jovens para o mundo da droga são vários: problemas com os pais, para serem aceites nalgum grupo, entre outros… São motivos suficientes para que caiam num vício que dificilmente conseguirão, mais tarde, abandonar completamente.

Numa primeira fase, a frase mais usada é "quando quiser largo isto, não sou dependente" mas o pior é que a cada dia que passa a situação vai piorando e as doses aumentando mas a maneira de pensar continua a ser que quando quiserem largam o vício até que chegam ao estado de total dependência.

São muito poucos os pais que se apercebem do rumo que os seus filhos vão tomando, talvez por trabalharem tanto para que consigam dar aos filhos o conforto que não tiveram acabam por cometer um grande erro. Em vez de passarem tempo com eles, ensinarem-lhes que há valores mais importantes que o dinheiro, trabalham de sol a sol deixando-os sozinhos e desamparados e quando se dão conta da verdadeira situação dos seus filhos já é tarde, já estão na última fase em que tudo serve para arranjar dinheiro para a droga e começam por levar objectos e aparelhos da própria casa, a pedir nas ruas ou ás portas dos estabelecimentos. Chegam a gastar balúrdios só por uns miligramas diários.

Quando tudo o que existia em casa já está vendido enveredam pelo roubo e, posteriormente, pela prostituição. Rapazes e raparigas têm como única razão de viver a droga. Chegam a um estado de decadência tal que ficam apenas pele e osso. Não conseguem comer quase nada pois o estômago fica super-sensível. O suor é nauseabundo assim como os seus abrigos.

Felizmente no meio de tanta de graça, os kits são de graça permitindo mais higiene e dificultando a propagação de doenças mas nem sempre foi assim. Muitos morreram porque a mesma seringa era usada inúmeras vezes e por várias pessoas. Agora a causa de morte é outra: overdose.

Claro que há aqueles que, com muita força de vontade conseguem fazer a desintoxicação e são bem sucedidos, mas são ainda muito poucos comparando com os que não o conseguem fazer…

Sónia Cristiano